segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Autocarros eléctricos no Grande Porto

Trolley Bus na Suiça
A página da Mobi.e é fértil a criar um enredo caricato para as notícias que publica. Há três semanas comentei esta e hoje abordo esta notícia do Jornal de Notícias sobre a sugestão de Luís Filipe Menezes relativamente a transporte eléctrico na região do Grande Porto. O autarca sugeriu que se voltasse a usar autocarros eléctricos em corredores especiais com catenária e pantógrafo para consumo eléctrico imediato, ou seja, trolley bus. A sugestão faz todo o sentido dado que a criação de uma rede de trolley bus é menos dispendiosa do que o metro de superfície. A ideia nem é inteiramente original dado que o Porto teve grande tradição na utilização de trolley bus até 2000.

Como afirmei neste post os trolley bus são uma solução eficaz e importante para electrificar a mobilidade urbana e reduzir a importação de petróleo. A página da Mobi.e relata aqui a declaração de Filipe Menezes mas não deixa de referir no texto que está prestes a arrancar a "experiência piloto com o autocarro eléctrico, produzido pelo consórcio constituído pela Salvador Caetano, a Efacec e o INEGI".

Caetano bus 100% eléctrico
O autocarro eléctrico da Salvador Caetano não é um trolley bus mas um autocarro eléctrico com baterias chinesas que a própia empresa nortenha afirma vir a custar €500.000 cada unidade. Acreditando na autonomia esperada de 100km e sabendo que um autocarro urbano faz médias de 10 km/h fica claro que cada unidade não vai operar mais de 10 horas por dia. Isso faz com que uma frota de autocarros eléctricos tenha de ser forçosamente maior do que a equivalente a diesel ou gás natural para garantir o mesmo serviço. Dado que as empresas portuguesas de transporte urbano de passageiros estão falidas não restam grandes dúvidas que a criação de uma frota de autocarros eléctricos Caetano Bus teria de ser subsidiada com dinheiros públicos. E todos os sete anos que é o tempo médio de vida das baterias de lítio que este autocarro vai usar.

1 comentário:

  1. Gonçalo Alves23 agosto, 2011 10:56

    Pois o autocarro 100% eléctrico não serve...

    ResponderEliminar